29/07/14 | 14:28
Operação “Carteirão” retira de circulação táxis clandestinos no Educandos

Operação da SMTU contou com o apoio do Manaustrans.

Três veículos particulares que realizavam o transporte de passageiros sem autorização da Prefeitura de Manaus foram apreendidos na manhã desta terça-feira, 29, durante a Operação ‘Carteirão’ realizada pela Superintendência Municipal de Transportes Urbanos (SMTU), na rua Inocêncio de Araújo, Educandos, zona Sul. A ação ocorreu de 9h às 11h e abordou 73 veículos, resultando outras nove apreensões.

Os veículos apreendidos por realizar transporte clandestino estavam com passageiros que afirmaram aos fiscais da SMTU que haviam embarcado no Centro e pagado ao condutor pelo transporte. A multa aplicada nos três casos é de 40 UFM´s, o que equivale a R$ 3.151, 60. Se forem reincidentes a multa dobra de valor e vai para R$ 6.303,20.

As outras nove apreensões foram decorrentes de irregularidades constadas pelos fiscais em táxis regularizados, como a não apresentação do crachá de identificação, mais conhecido como ‘Carteirão’ – documento de porte obrigatório dos taxistas – e má conservação de alguns itens do veículo. O valor das multas aplicadas nessas apreensões variou de 10 a 30 UFM´s (R$ 787, 90 a R$ 2.363,70).

Além de dez fiscais de transporte da SMTU, a blitz contou com a participação de efetivo da Polícia Militar e agentes do Instituto Municipal de Engenharia e Fiscalização do Trânsito (Manaustrans).

A chefe da Divisão de Fiscalização da SMTU, Claudete Sampaio, que coordenou a operação, afirma que as fiscalizações contra o transporte clandestino serão intensificadas. “Recebemos denúncias diariamente sobre a existência desses táxis ‘piratas’. E aqui no Educandos é um local onde sempre que fazemos blitz apreendemos veículos clandestinos. Por isso vamos continuar a cada dia em um local diferente. É importante que a população continue denunciando para direcionar nossa fiscalização e assim podermos retirar de circulação esses infratores”, afirmou.

Em Manaus existem 4.020 taxistas legalizados. O serviço é operado exclusivamente por profissionais autônomos, sob contrato de permissão.