20/03/15 | 17:37
Cumpridores de penas alternativas participam de atividades relacionadas ao trânsito

 A Prefeitura de Manaus e o Tribunal de Justiça do Amazonas (TJ-AM) assinaram um Termo  de Cooperação Técnica para estabelecer penas alternativas aos condutores encaminhados  pela Vara de Execuções de Medidas e Penas Alternativas (Vemepa). A parceria foi firmada  nesta sexta-feira, 20, em cerimônia realizada no Fórum Henoch Reis, zona Centro-Sul de  Manaus.

Para o prefeito Arthur Virgílio Neto, a medida vai trazer reflexos positivos na redução das infrações e acidentes no trânsito. “Com isso o motorista se educa e, ao mesmo tempo, educa outros condutores e por meio de uma mídia institucional nossa será possível comunicar para muitas outras pessoas, conscientizado e obtendo resultados bem positivos a curto e longo prazo, até chegarmos ao patamar de uma cidade que possui níveis civilizados nas estatísticas de acidentes de trânsito”, destacou.

Na prática, a partir de agora, além de prestarem serviços comunitários, os motoristas infratores que forem encaminhados pela Vemepa terão também que participar de palestras e outras ações de educação no trânsito promovidas pelo Instituto Municipal de Engenharia e Fiscalização de Trânsito (Manaustrans).

“Nós estamos dando, claramente, à sociedade o seguinte alerta: o motorista que praticar crime de trânsito não ficará impune e o Manaustrans será responsável por levar esse condutor, que participará das penas alternativas, para assistir palestras, distribuir folhetos e contribuir nas ações para tornar o trânsito ainda mais seguro. A ideia é fazer com que eles colaborem na melhoria da sociedade por algo que fizeram contra a própria sociedade”, comentou Paulo Henrique Martins, diretor-presidente do Manaustrans.

“O trânsito tem que ser encarado com muita seriedade, respeitando às leis e, principalmente, ao próximo. Os veículos são meras conduções para nos levar aos locais que precisamos e não devem ser encarados como armas, que provocam a infelicidade de milhares de famílias. Por isso, essa iniciativa muito nos alegra, por propiciar a reeducação e reabilitação dos condutores imprudentes”, completou a presidente do TJ-AM, desembargadora Graça Figueiredo.

Logo após o evento, foi ministrada a primeira palestra aos condutores que estão cumprindo penas alternativas. Para o industriário Claudionor dos Anjos, a iniciativa vai gerar mais conscientização. “Agora quero servir de exemplo. Sei que errei, porque o álcool realmente não combina com a direção. Sou grato por aprender essa lição antes de ter machucado alguém ou até a mim mesmo. Essa medida é muito positiva e espero que possa ser ampliada e levada para as comunidades. Acredito que com esse tipo de abordagem, com histórias reais, a conscientização será muito mais efetiva”, avaliou.

REPORTAGEM: Alita Falcão / FOTOS: Alex Pazuello